Ver conteúdo

GRAMÁTICAS DA CRIAÇÃO

George Steiner inicia Gramáticas da Criação, a sua obra mais radical, com a frase «Já não temos começos». Este livro, pela exploração exaustiva da noção de criação no pensamento ocidental, na literatura, na religião e na história, pode ser considerado um opus magnum. George Steiner reflecte sobre as diferentes maneiras através das quais falamos de começos, sobre o «cansaço fundamental» que atravessa o nosso espírito de fim de milénio e sobre a gramática em mutação das discussões sobre o fim da cultura e da arte ocidentais.
Com o estilo habitual, Steiner analisa as forças que orientam o espírito humano e a nossa percepção das sombras que se estendem sobre a civilização ocidental.
George Steiner é membro do Churchill College em Cambridge. Recebeu vários prémios pelas suas obras, nomeadamente os das Fundações Fulbright e Guggenheim, o Prémio Morton Dauwen Zabel da Academia Americana de Artes e Letras e o Prémio Truman Capote. Entre os seus livros estão: No Castelo ão Barba Azul, Antígonas, Errata: Revisões ãe Uma Vida, Depois ãe Babel, Paixão Intacta, Nostalgia ão Absoluto e Os Logocratas.

20,18 

REF: 195-73-1-318 Categoria:
ISBN

9789727086795

Edição ou reimpressão

2002

Encadernação

Capa mole

Páginas

376

Autor:

George Steiner

Editora:

Relógio D´Água