Ver conteúdo

Os Manifestos Rosacruzes

A Ordem Rosacruz existiu? Que espécie de reforma absoluta do mundo propunha? Serão os rosacruzes os verdadeiros precursores do pensamento moderno? Quem foi Cristão Rosacruz?

O nome Rosacruz emerge na História há 400 anos, no início do século XVII, com a publicação de três Manifestos, fruto da reflexão espiritual de um círculo de eruditos, teósofos e místicos alemães, que se reuniam em Tübingen, uma pequena cidade da Floresta Negra. Propunham uma reforma absoluta do mundo e defendiam ideais como a liberdade religiosa, a separação entre o Estado e a Igreja, assim como outros, tornados realidade muito mais tarde, como a liberdade de imprensa e de opinião ou os direitos humanos. Pela primeira vez em Portugal. Inclui tradução integral dos textos originais.

Para os rosacruzes, a Humanidade encontra-se no limiar de um salto qualitativo de consciência, razão pela qual lançam um apelo à transformação de todos os âmbitos da vida humana, encorajando a «Restauração do Templo que é o Homem». A Reforma Rosacruz, tal como foi originalmente proposta, abarcava três campos: ciência, religião e sociedade. Para que isso acontecesse, eram necessários o conhecimento e a aplicação das leis naturais e das leis divinas, através de um processo simultaneamente individual e social conduzido pelo espírito liberto no ser humano.

Na obra que agora se apresenta, encontra-se não apenas uma investigação histórica sobre o movimento e os ideais rosacruzes clássicos, mas, pela primeira vez em Portugal, também a tradução integral dos seus textos fundadores originais: Fama Fraternitatis, Confessio Fraternitatis e As Núpcias Alquímicas de Cristão Rosacruz.

17,45 

REF: 99 Categorias: ,
ISBN

Edição ou reimpressão

2020

Encadernação

Capa mole

Páginas

272

Autor:

Rui Lomelino de Freitas

Editora:

Alma dos Livros