Ver conteúdo

56/25-31

Esménio foi uma aparição, um escritor que surgiu não se sabe de que buraco burocrático e nos veio dar o relato das coisas segundo uma outra mecânica. Os passos fortuitos com que a imaginação elabora ao lado do caos um reflexo compassivo, golpeia a pele, bica o fruto, enche-se de forças, lança uma variação que nos faz ver de novo o mundo. Num português em que a língua se move bem pelas arcadas da boca, com a dose certa de artifício, serviu-nos algo menos e mais que outra ficção. (…) “Não podendo falar para toda a terra/ direi um segredo a um só ouvido”, escreveu a santa padroeira dos achamentos que levam o seu tempo e um dia se tornam incontornáveis.
“Cinquenta e seis – vinte e cinco da terra e do rio, trinta e um do mar e dos viajantes” é um desses descobrimentos raros que se desdobram com os anos como continentes.

Cinquenta e seis – vinte e cinco da terra e do rio, trinta e um do mar e dos viajantes, de Esménio, é um dos livros do ano, na selecção do jornal i.

12,50 

REF: 55 Categoria:
ISBN

Edição ou reimpressão

2018

Encadernação

Capa mole

Páginas

78

Autor:

Esménio

Editora:

FLOP